Tempo Litúrgico - Páscoa - Cor Branco

Branco

Usado na Páscoa, no Natal, nas Festas do Senhor, nas Festas da Virgem Maria, de São João Evangelista (apóstolo) e dos Santos, exceto dos mártires e dos apóstolos. Simboliza alegria, ressurreição, vitória e pureza. Sempre é usado em missas festivas.


O Tríduo Pascal começa com a Missa da Santa Ceia do Senhor, na Quinta-Feira Santa. Neste dia, é celebrada a Instituição da Eucaristia e do Sacerdócio, e comemora-se o gesto de humildade de Jesus ao lavar os pés dos discípulos.

Na Sexta-Feira Santa celebra-se a Paixão e Morte de Jesus Cristo. É o único dia do ano que não tem Missa, acontece apenas uma Celebração da Palavra chamada de “Ação ou Ato Litúrgico”.

Durante o Sábado Santo, a Igreja não exerce qualquer ato litúrgico, permanecendo em contemplação de Jesus morto e sepultado.

Na noite de Sábado Santo, já pertencente ao Domingo de Páscoa, acontece a solene Vigília pascal. Conclui-se, então, o Tríduo Pascal, que compreende a Quinta-Feira, Sexta-Feira e o Sábado Santo, que prepara o ponto máximo da Páscoa: o Domingo da Ressurreição.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

22 de Outubro, festa litúrgica do beato João Paulo II

Por Neyton João Pontes



A festa litúrgica do beato João Paulo II vai celebrar-se pela primeira vez a 22 de outubro, data anunciada por Bento XVI durante a fórmula de beatificação, no Vaticano. Essa data escolhida é referente à data da primeira homilia do seu pontificado no ano de 1978, na qual afirmou: “Não tenhais medo! Abri as portas a Cristo!”, frase essa que mais tarde se tornou parte do hino oficial da sua beatificação em maio de 2011.
Na história da Igreja Católica nunca um Papa beatificou o seu antecessor, ainda que as regras para estas cerimônias, como hoje as conhecemos, tenham sofrido alterações significativas ao longo dos séculos. O jornal do Vaticano assinalava que “nos últimos dez séculos nenhum Papa elevou às honras dos altares o seu imediato predecessor” e mesmo esses casos aconteceram “em contextos não comparáveis com a decisão de Bento XVI”.
João Paulo II, Karol Wojtyla (1920-2005), foi proclamado beato e apresentado aos católicos como modelo de vida e intercessor junto de Deus.
O rito constitui a penúltima etapa no processo de canonização, mediante o qual um cristão é declarado santo e se alarga a sua veneração a todas as nações.
Comemoremos com fé e nos espelhemos na sua atitude de serviço ao Reino de Deus!
Bem aventurado João Paulo II , rogai por nós!

Nenhum comentário:

Postar um comentário