Tempo Litúrgico: Comum - Cor Verde

O Tempo Comum ocupa a maior parte do ano litúrgico. O fato de ser denominado “Tempo Comum” não significa que seja menos importante. Antes mesmo de se organizarem as festas anuais (Natal e Páscoa), com seus tempos de preparação e prolongamento, o Tempo Comum foi a primeira realidade na vivência do Mistério Pascal.

O Tempo Comum é o período mais extenso do ano litúrgico: 33 a 34 semanas distribuídas entre a festa do Batismo de Jesus até o começo da Quaresma e as outras semanas entre a segunda-feira depois de Pentecostes e o início do Advento.

É tempo de ouvir, de acolher, de conhecer e de seguir Jesus. O verde é a cor da esperança. Simboliza a cor das plantas e árvores, prenunciando a esperança da vida eterna.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

PROGRAMA DAS MISSAS E ATIVIDADES DE DEZEMBRO DE 2015

Dia 02 Quarta-Feira 20h00 Celebração da Palavra Matriz
Dia 04 Sexta-feira 15h00 Celebração com os Idosos Acaraú
Dia 05 Sábado 09h30 Procissão e Missa Santo André Itacuruçá 16h00 Crisma São Paulo Bagre 19h30 Crisma Matriz (Carijó, Centro, Acaraú)
Dia 06 Domingo Confrat. Catequistas - Salão Paroquial 09h00 Missa Matriz 16h00 Missa Itapitangui 20h00 Missa Matriz
Dia 09 Quarta-Feira 20h00 Missa Matriz
Dia 10 Quinta-feira 19h30 1º Tríduo Nsa. Sra. de Guadalupe Acaraú
Dia 11 Sexta-feira 19h30 2º Tríduo Nsa. Sra. de Guadalupe Acaraú
Dia 12 Sábado 19h30 3º Tríduo Nsa. Sra. de Guadalupe Acaraú. Na sequência, bingo. 20h00 Missa Carijó (Batismo)
Dia 13 Domingo 09h00 Missa Rocio (1ª Eucaristia) 09h00 Liturgia da Palavra 16h00 Procissão e Missa Festa de Nossa Senhora de Guadalupe (1ª Eucaristia) 19h00 Missa Matriz
Dia 15 e 16 CODIPA
Dia 16 Quarta-Feira 20h00 Celebração do Perdão Matriz
Dia 17 Quinta-Feira 15h00 Missa Marujá 19h30 Missa Ariri
Dia 18 Sexta-Feira 10h00 Missa Enseada 15h00 Missa Pontal
Dia 19 Sábado 16h00 Missa Santa Maria 18h30 Missa Mandira
Dia 20 Domingo Confraternização Paroquial 09h00 Missa Matriz 20h00 Missa Matriz
Dia 22 Terça-feira Encerramento da Catequese 19h00 Cantata e Auto de Natal - Matriz
Dia 23 Quarta-feira 20h00 Missa Matriz
Dia 24 Quinta-feira 21h00 Missa da Vigília do Natal do Senhor (Missa do Galo)
Dia 25 Sexta-feira 20h00 Missa de Natal
Dia 26 Sábado 16h00 Missa Rio Branco 19h00 Missa Porto Cubatão
Dia 27 Domingo 09h00 Missa Matriz 16h00 Missa Iririaia 20h00 Missa Matriz
Dia 30 Quarta – Feira 20h00 Missa Matriz
Dia 31 Quinta-feira 21h00 Missa Matriz
Dia 01 de Janeiro de 2016–Sexta-feira 20h00 Missa Matriz

Editorial

Nos aproximamos do Natal. De noite já se percebem luzes pelas casas, pelas ruas. Os enfeites nas cores verde, vermelho, dourado e prateado invadem as portas e as janelas das casas e do comércio. Eis que chega o espírito do Natal! No entanto, esse não deve ser o verdadeiro espírito natalino, pois Jesus, o menino Deus, veio em meio às palhas opacas e sem brilho, sem piscas ou luzes coloridas e sem os oponentes presentes em lindos embrulhos. Talvez não percebamos, mas naquele tempo, não existia a mítica figura do Papai Noel, nem por isso aquele natal foi o mais triste. Nessa despojada noite, Jesus teve a oportunidade de despertar um verdadeiro espírito natalino, iluminado pelas estrelas do céu, recebendo a visita dos pobres que reconheceram o menino, como sendo um grande presente o seu nascimento. Os reis que o visitaram, vindos de tão longe, o contemplaram com olhos de gratidão, por caminharem de tão longe atrás de uma profecia e naquele momento, enfim, ver diante de si a realização. Assim gratos, ofereceram presentes que não foram descartados quando o menino se cansou deles. O menino recebeu presentes que o acompanharam para a vida toda. Não havia naquela noite, no estábulo, um banquete repleto de guloseimas e sabores diversos, mas havia sim, a certeza de que quem estava ali era bem-vindo. Ainda que fossem convidados oficialmente, encontraram as portas e as janelas abertas. Eis nosso tempo propício, o tempo do Advento, que nos prepara pra esse grande encontro, na noite mais iluminada, encontrar o menino Deus. Nessa noite mais iluminada, deixar-se iluminar, e repleto dessa luz aquecer também o nosso coração. Façamos a experiência de retorno ao verdadeiro amor. O menino nos ensina a nos prostrarmos, reconhecendo nossa pequenez e assim, mudarmos nosso coração e atitude. Aprendamos a promover a PAZ e a FRATERNIDADE! Padre Alessandro Nascimento

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Reforma do Salão Paroquial

Por Thiago Ouriques
Nosso salão paroquial está de cara nova! Graças ao trabalho de pessoas de coração generoso, a comunidade em breve poderá desfrutar de um espaço mais amplo e agradável. Damos graças a Deus pelos que têm se doado para que essa obra aconteça! Aproveitamos a oportunidade para agradecer a todos os que, nestes últimos dias, deram um pouco de si para realizarmos a reforma do salão paroquial e os preparativos para a festa de Nossa Senhora Aparecida e o envio da querida Ir. Ana. Aos que vieram desforrar e forrar, lavar e secar, pintar e assentar blocos, quebrar e consertar. Aos que vieram decorar, organizar mesas, cadeiras, arranjos de flores e som. Aos que “deram duro” na frente do fogão e preparando todos os alimentos. Aos que não estiveram conosco fisicamente, mas fizeram a sua doação para a festa. Aos que limparam e ornamentaram a igreja para este dia especial. Aos que prepararam a Liturgia da missa...o nosso muito obrigado. Deus é realmente generoso com nossa comunidade. Ele concede-nos a graça de mãos generosas, estendidas e prontas a ajudar. Ele lhes recompense com bênçãos por todo o bem que fazem à sua comunidade!

Novembro: mês do Dízimo

É verdade que na Bíblia Sagrada Deus nos pede o Dízimo e a Oferta. “Pagai integralmente os dízimos à casa do Senhor” (Mal 3,10). “Dizei ao povo de Israel que me faça uma oferta diz o Senhor”. (Ex 25,2). Existe uma grande diferença entre Dízimo e Oferta, embora ambos sejam frutos de nossa fé, do nosso reconhecimento, da nossa gratidão para com Deus, da nossa generosidade, de nosso coração. Dízimo é devolver a Deus, com fidelidade, uma parte de tudo aquilo que Ele próprio nos dá, como primícias da nossa renda. O Dízimo tem um destino certo: a Igreja de Jesus Cristo, para a realização da obra de Deus, de acordo com um plano pastoral que abrange a dimensão religiosa, social e missionária. Este plano tem continuidade, não pode sofrer interrupções, por isso deve contar com recursos regulares. É o Dízimo que deve sustentar o plano pastoral da Igreja para a realização da obra de Deus. A Oferta é livre, não tem momento certo, depende da necessidade de quem solicita e da disponibilidade de quem oferece. As ofertas se destinam geralmente para a realização de obras complementares ou para socorrer alguma emergência pessoal ou comunitária, ou ajudar o plano pastoral da Igreja, mas como acréscimo ao Dízimo, que constitui a pastoral de sustentação da vida paroquial. Sua contribuição generosa ajuda a comunidade a "se ajudar", na própria manutenção e na assistência aos que mais precisam e com ela contam. Ninguém é tão rico que não precise de uma mão estendida. Ninguém é tão pobre que não possa estender a mão para ajudar. Colabore com sua comunidade! Seja dizimista! A você dizimista e agente do dízimo, o nosso muito obrigado, por acreditar no Reino de Deus, consagrar seu dízimo e sua dedicação ao trabalho.

Missa Sertaneja: momento de fé e devoção

Por Inivete de Campos
No dia 06 de setembro, domingo, a comunidade do Porto Cubatão celebrou a Missa Sertaneja em mais uma edição da Festa do Pescador. Um momento esperado da festa que conta com a acolhida à imagem da tão querida e amada Nossa Senhora Aparecida. Esse grande e especial momento já é esperado por todos, pois tem também a intenção de resgatar a cultura caiçara, fazendo desse momento um louvor, um testemunho de agradecimento, recordando a vida dos pescadores e de toda a comunidade. A Celebração Eucarística foi presidida pelo Padre Alessandro, que durante sua pregação nos levou a refletir sobre o encontro de cada um com Deus, de modo a fazer a experiência de humildade e simplicidade como Maria, e colocando-nos, assim, em missão e amor ao próximo. Foram apresentados símbolos que lembram a vida na zona rural, a vida de nossos humildes pescadores. Parabéns ao grupo de violeiros, vindo de Jacupiranga, que em seu canto, doaram amor e dedicação. Parabéns à comunidade e a toda a equipe que organizou essa Festa. Que nossa Mãe abençoe a todos!

Comunidade do Carijó louva o seu Padroeiro

Este ano a Comunidade partilhou o tema: São Francisco, servidor humilde da Palavra de Deus
Por Vinícius Rangel
Os festejos em louvor ao Padroeiro da Comunidade do Carijó, São Francisco de Assis tiveram início no dia 01 de outubro, com o 1º tríduo e nos dias 02 e 03, o 2º e 3º tríduos, às 19h30, celebrados pelas comunidades paroquiais e sempre com uma partilha entre os fiéis. No dia 04 de outubro, a Igreja celebra a memória de São Francisco de Assis, um grande exemplo de simplicidade, amigo da pobreza e dos pobres, que se fez irmão de toda a natureza. Neste dia festivo, a comunidade celebrou com grande alegria o seu padroeiro. O dia começou com a Alvorada, às 06h00 tendo também, às 11h00, a bênção dos animais. Na parte da tarde, a comunidade participou da procissão pelas ruas do bairro com as imagens de São Francisco e Nossa Senhora Aparecida, encerrando com a missa, com grande participação dos paroquianos. Parabéns a toda a Comunidade do Carijó pela belíssima Festa e viva São Francisco de Assis!